1990’s

História por década:  1920’s | 1930’s | 1940’s | 1950’s | 1960’s | 1970’s | 1980’s | 1990’s

Video: 1992-93 Leafs Team | Sergei Berezin | Wendel Clark

Cliff Fletcher foi diferente de gerentes gerais anteriores dos Leafs nos anos 80 pelo fato de ja ter tido sucesso no passado construindo um time vencedor. Fletcher iniciou a sua carreira no hóquei em Montreal e após criou um novo time do zero em Atlanta com a expansão da liga, se desenvolvendo ano após ano, at[e chegar à Stanley Cup com o Calgary na temporada 1988-89. Tendo atingido o ápice, ele estava buscando novos desafios e foi contratado para reconstruir o Toronto Maple Leafs.

A primeira ação de Fletcher foi uma negociação de sete jogadores com os Edmonton Oilers que traria um goleiro já experiente, Grant Fuhr, e o atacante Glen Anderson aos Leafs. Era óbvio que Fletcher estava buscando trazer jogadores que já tinham vencido anteriormente para trazer esta atitude aos Maple Leafs. A próxima ação de Fletcher foi totalmente inesperada. Ele negociou Gary Leeman, que marcou mais de 50 gols em temporadas passadas, aos Calgary Flames numa troca envolvendo 10 jogadores que provaria ser uma das melhores negociações de todos os tempos. O grande nome envolvido foi Doug Gilmour que seria a cara dos Leafs pelos próximos anos. Para fortalecer a defesa, Fletcher conseguiu obter o veterano Jamie Macoun dos Flames. Nenhum dos jogadores fornecidos pelos Leafs aos Flames teve um grande impacto. Essa foi um conto de fadas para os Leafs que só tinham tido trocas e negociações desfavoráveis na década de 80.


Cliff Fletcher foi o arquiteto do sucesso dos Leafs noa anos 90.

Após a primeira temporada de Fletcher como gerente geral na temporada 1991-92, os Leafs não se classificaram aos playoffs, mas havia um novo espírito no vestiário e os torcedores podiam ver o progresso na equipe. Fletcher então contratou um técnico muito respeitado e que também já havia provado seu valor. No verão de 1992, o ex-técnico dos Montreal Canadiens, Pat Burns foi contratado com muita festa para ser o técnico dos Leafs.

Mas Fletcher ainda não havia terminado. Durante a temporada 1992-93, numa outra ótima negociação, ele enviou o seu goleiro titular Grant Fuhr ao Buffalo por Dave Andreychuk, Darren Puppa e a primeira escolha do draft. Negociar o seu goleiro titular sempre é arriscado, mas Fletcher sabia que tinha um jovem goleiro chamado Felix ‘The Cat’ Potvin que já estava pronto para jogar na NHL.

Os Leafs terminara a temporada regular de 1992-93 na terceira posição da Divisão Norris com um recorde de 99 pontos, que foram “somente” 32 pontos a mais que na temporada anterior. Esse foi uma grande reviravolta e Fletcher estava sendo considerado um gênio. Mas os jogadores e torcedores dos Leafs sabiam que para se estabelecerem como um ótimo time, tinham obrigatoriamente que ter algum sucesso nos playoffs.

O Detroit Red Wings, que terminou em segundo na Divisão Norris, foram os oponentes dos Leafs na primeira rodada. Os Red Wings venceram os dois primeiros jogos em casa por placares de 6-3 e 6-2. Inacreditavelmente, os jogadores dos Red Wings foram ouvidos desprezando os Leafs como um oponente de valor nos playoffs.

Mas este era uma equipe dos Leafs diferente de temporadas anteriores com certeza. O técnico Pat Burns não permitiria que o time desistisse. O capitão Wendel Clark voltou a jogar de forma perfeita e o líder Doug Gilmour mostrou porque ele era adorado pelos torcedores dos Leafs. Este time tinha uma defesa muito sólida com com o ataque de Dave Andreychuk, recém-adquirido, junto com Doug Gilmour como seu central, se tornou um atacante que marcou mais de 50 gols com os Leafs.


Doug Gilmour quase liderou a equipe às finais da Stanley Cup.

A série veio até a prorrogação do sétimo jogo na joe Louis Arena, em Detroit, quando Nik Borschevsky, um pequeno ala direita dos Leafs, marcou para enviar os Leafs à próxima rodada dos playoffs. Claro que Doug Gilmour não somente marcou o gol de empate quase no final do terceiro período para enviar o jogo para a prorrogação, mas também ajudou com uma assistência no gol na prorrogação.

Depois de Toronto vencer o St. Louis Blues em sete jogos, os Leafs enfrentaram os Los Angeles Kings em sete jogos antes de perdem a chance de enfrentar o Montreal Canadiens nas finais e possivelmente ter ganho a Stanley Cup.

Muitos torcedores vão se lembrar de terem visto Doug Gilmour ser acertado pelo taco de Wayne Gretzky na prorrogação do jogo 6 no L.A. Forum. O árbitro Kerry Fraser não marcou a penalidade de Gretzky, o ‘Great One’, e Gretzky veio a marcar o gol da vitória na prorrogação para forçar o jogo 7, onde os Kings venceram os Leafs por 5-4. Os Leafs tiveram a sua presença negada às finais da Stanley Cup que ocorreria pela primeira vez desde 1967, mas estavam olhando para o futuro e carregar o sucesso para a nova temporada.

Os Leafs iniciaram a temporada 1993-94 com uma sequência de 10 vitórias e terminaram a temporada com 98 pontos. Eles chegaram às finais de conferência novamente, onde foram eliminados pelo Vancouver Canucks em cinco jogos. Um Cliff Fletcher desapontado começou a contemplar que movimentos ele teria que fazer para voltar a fazer os Leafs chegarem ao topo.

Antes do início da temporada 1994-95, Cliff Fletcher chocou os torcedores dos Leafs negociando um dos jogadores favoritos de Toronto, Wendel Clark, junto com o ótimo defensor Sylvain Lefebvre, o novato Landon Wilson e uma escolha de primeira rodada de draft pelo jovem central sueco Mats Sundin, Garth Butcher, Todd Warriner e uma escolha de primeira rodada. Foi necessária muita coragem de Fletcher para negociar o popular Wendel Clark. Mas o gerente geral explicou que apesar de os Leafs estarem tendo um certo sucesso nas últimas temporadas, eles ainda não eram bons o suficiente para chegar a ganhar a Stanley Cup. Adicionalmente, adquirindo o jovem Mats Sundin, os Leafs teriam um potencial superstar pelas próximas10 temporadas.

Apesar desta troca histórica, os Leafs perderam a primeira rodada dos playoffs de 1994 para os Chicago BlackHawks e os Leafs iniciaram um declínio. Com o mal desempenho dos Leafs na temporada 1995-96, Fletcher demitiu o técnico Pat Burns. O capitão Doug Gilmour foi negociado com o New Jersey deixando Mats Sundin como capitão da equipe. O gerente geral dos Leafs fez algumas outras mudanças sem qualquer impacto e ficou aparente que Cliff Fletcher estava perdendo seu toque de gênio. Acabou sendo demitido pela gestão da equipe. Os Leafs acabaram não se classificando aos playoffs nas temporadas 1996-97 e 1997-98. O Toronto Maple Leafs atingiu ótimo desempenho no começo da década, quase chegando às finais por duas vezes, mas chegou a hora de uma nova reconstrução.

Com Pat Quinn como novo técnico e com Curtis Joseph no gol, os Leafs recuperaram-se e voltaram a chegar às finais de conferência em 1998-99 mas perderam para os Buffalo Sabres. Em 13 de fevereiro de 1999, num momento histórico para a franquia dos Leafs, foi realizado o último jogo no Maple Leaf Gardens. Uma semana depois, os Leafs jogaram seu primeiro jogo no novo Air Canada Centre com a esperança que seus apaixonados torcedores vejam novamente a equipe vencer a Stanley Cup.

Anúncios
  1. Nenhum comentário ainda.
  1. No trackbacks yet.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: