Arquivo

Archive for the ‘Rumor’ Category

Leafs no draft 2015

quarta-feira, 22 abril 2015 Deixe um comentário

Após o término da temporada regular, os Leafs, que terminaram como a quarta pior equipe na 27ª posição.

Realmente não foi uma boa temporada para os Leafs, que nos últimos 10 anos somente se classificaram aos playoffs uma vez e que, após um ótimo início de temporada, iniciaram uma queda vertiginosa em 2015. 

A equipe já iniciou a reconstrução, sob o comando e planejamento de Brendan Shanahan. Mas um dos pilares para a reconstrução da equipe é escolher bons jogadores no draft e este ano temos um jogador considerado como um dos melhores dos últimos 10 anos, Connor McDavid. 

A disputa por Connor McDavid foi acirrada e a decisão de quem teria direito à primeira escolha no draft deste ano foi feita com base numa loteria, onde os times teriam chances de acordo com a sua classificação ao final da temporada regular. O Buffalo Sabres, pior time da temporada tinha 20% de chances de conseguir a primeira escolha. Os Leafs tinham 9,5% de chances. 

A loteria ocorreu a portas fechadas com representantes dos times participantes, os times que não estão nos playoffs, e o que ocorreu é que o Edmonton Oilers, 28ª classificada ao final da temporada regular, acabou levando a loteria e ficará com a primeira escolha e, portanto, muito provavelmente, conseguirá escolher McDavid. A não ser que outra equipe consiga tecer uma proposta que seja aceita pelos Oilers para uma troca desta primeira escolha. 

Os Oilers estão em sua reconstrução a uns 6 anos e, nestes 6 anos, conseguiram a primeira escolha em 4 deles. Tais escolhas resultaram em Tyler Hall, Ryan Nugent-Hopkins, Nail Yakupov e agora, muito provavelmente, Connor McDavid. Nem mesmo com esses ótimos jogadores os Oikers ainda não se acertaram e continuam, ano após ano, entre os piores da liga. 

Para os Leafs nos restou a quarta escolha, o que nos deixa em suspense pois já sabemos que a primeira escolha será McDavid, um central, a segunda escolha, dos Sabres, será de Jack Eichel, a terceira escolha, do Arizona Coyotes é uma incógnita, pois eles podem selecionar um defensor, Noah Hanifin, ou um central em Dylan Strome. Esse é que é o problema. Os Leafs necessitam aguardar a escolha dos Coyotes para saber quem estará livre para a quarta escolha.

Vamos ver o que acontece até o draft em junho, afinal ainda podemos ver trocas por escolhas de draft, já que os Oilers necessitam de jogadores experientes, já que já estão cheios de jogadores de primeira escolha geral do draft! 

Que os Leafs consigam bons jogadores em cada uma de suas escolhas nas rodadas do draft, e fora do draft também, via contratação ou troca. Ainda não temos claro o futuro de muitos de nossos jogadores, incluindo Tyler Bozak, Dion Phaneuf e Phil Kessel.

Go Leafs Gooooo

Leafs na data final de trocas 2015

terça-feira, 03 março 2015 Deixe um comentário

Ontem foi o último dia onde as equipes da NHL poderiam realizar negociações e trocas de seus jogadores e, apesar de toda a ansiedade dos torcedores dos Leafs, com rumores de negociações de Phil Kessel, Dion Phaneuf, Joffrey Lupul e David Booth, estes jogadores não obtiveram boas propostas ou propostas onde os Leafs não teriam que incluir jogadores mais jovens e promissores, como Morgan Rielly na negociação.

Olli Jokinen que veio aos Leafs na troca com o Nashville Predators, acabou sendo negociado com o St. Louis Blues por uma escolha condicional de sexta rodada no draft de 2015 mais o atacante Joakin Lindstrom. Esta escolha de sexta rodada, pode se tornar uma de quarta rodada de os Blues chegarem à disputa da Stanley Cup e Olli Jokinen estiver apto a ajudar a equipe. 

Já no finalzinho da janela de trocas os Leafs anunciaram a negociação de Korbinian Holzer com o Anahein Ducks, por Eric Brewer e uma escolha de quinta rodada no draft de 2016.

Ao final, os Leafs acabaram negociando quase todos seus jogadores com contratos pendentes ao final desta temporada e acreditavam que negociar David Booth seria mais fácil. Aparentemente Phaneuf e Kessel vão aguardar até julho, quando abre-se novamente a janela de trocas e quem sabe não podem até mesmo se usados para negociar a primeira escolha no draft deste ano, selecionando o tão bem cotado, Connor McDavid!

Agora é acompanhar o restante da temporada, sem muita expectativa e esperar pelo draft e período de negociações a partir de julho! 

O período até o final da temporada regular vai servir para os Leafs testarem jogadores novos, vindos dos Marlies, como Brandon Kozun, William Nylander, Peter Granberg, TJ Brennan, até mesmo Antoine Bibeau entre outros.

Go Leafs Goooo

Rogers pretende adquirir 66% da Maple Leafs Sports & Entertainment

quarta-feira, 01 dezembro 2010 2 comentários
Main video board at the Rogers Centre, showing...

Image via Wikipedia

Foi largamente divulgado hoje, que a Rogers pretende adquirir 66% da Maple Leafs Sports & Entertainment (MLSE), comprando os direitos do Fundo de Pensão que atualmente é o detentor.

Com esta compra a Rogers passará a ter direitos sobre o Toronto Raptors, Toronto Maple Leafs, Air Canada Centre e dos respectivos canais Raptors TV e Leafs TV. Atualmente a Rogers já é proprietária do Toronto Blue Jays e do Rogers Centre.

Com essa compra a Rogers poderá aumentar sua fatia no mercado esportivo de Toronto, incluindo diminuir o pagamento por direitos de transmissão dos jogos de hóquei, que hoje transmite pelo canal Rogers Sportsnet!

É isso aí … eu acho que a aquisição será uma boa, afinal que tipo de retorno exige um fundo de pensão? Já para a Rogers, imagina ter um time campeão … vai poder cobrar muito mais pelos direitos de transmissão.

Vamos esperar e, no meu caso, torcer para que isso se concretize.

GO Leafs GOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO

Performance de Brian Burke e carta aberta de Katie Burke aos media

segunda-feira, 22 novembro 2010 6 comentários

Caros co-fans dos Leafs:

Já há algum tempo que venho  a falar da necessidade de afastar Brian Burke e Ron Wilson. Podem ter feito bom trabalho nos Canucks, na selecção dos Estados Unidos, mas não podemos ficar mais eternidades à espera que o trabalho dê fruto. Ou o quê, dar-lhes mais 5 anos para termos os Leafs nos playoffs???

Eu não tenho essa paciência e gostava de ver MAIS, de preferência antes de me reformar. Se bem que as equipas sejam construídas ao longo dos anos com bons draft picks, há equipas que têm a OBRIGAÇÃO para com os fans de estar sempre na luta. Pura e simplesmente não pode haver conformação… Talvez o que salvasse tudo fosse a NHL funcionar com promoção/relegação e não com o estúpido sistema de franchises (com equipas a perderem jogos no final do ano para terem acesso aos melhores drafts). Aí sim, talvez o descontentamento levasse muito boa gente para o olho da rua!! Era preciso mudar o que não estivesse bem. E não estou a ver os donos dos Leafs (nem a cidade!!!) a conformar-se em competir na NHL “série B”, ou na AHL!!!!!!!!

Isto a propósito, não sei se têm acompanhado, de um debate na imprensa “torontoniana”. Como se sabe, Toronto QUER ter uma equipa ganhadora e não uma equipa de fundo da tabela.

Brian Burke, o “nosso” GM

E na passada 6ª feira um colunista do jornal “The Globe and Mail”, Bruce Dowbiggin, voltou a tocar no assunto sobre se a imprensa está a dar “folga” a Burke, por simpatia, por este ainda ter perdido muito recentemente o seu filho Brendan num acidente de carro no ano passado.

Brendan junto o pai, Brian, com 18 anos, em 2007, a festejar a conquista da Stanley Cup pelo pai, ao serviço dos Anaheim Ducks, contra os Ottawa Senators. Brendan morreria num acidente de automóvel, em 2010 com 21 anos.

Hoje no site dos Leafs surge um link para a resposta da filha mais velha de Burke, em http://www.theglobeandmail.com/sports/hockey/brian-burkes-daughter-responds-to-globe-columnist/article1807193/ 

Tomando a liberdade, passo a traduzir para português, o teor da mesma (no final da missiva, dou a minha opinião pessoal):

“Como filha mais velha de Brian, gostaria de tomar um momento para clarificar algumas das presunções que têm andado a circular nos media de Toronto:

Primeiro e antes de mais, o meu pai odeia perder. Odeia. Ele odeia perder no Scrabble, ele odeia perder uma aposta e odeia mesmo perder jogos de hóquei.

Ao crescer, a primeira coisa que se dizia a qualquer amigo que fosse ver um jogo de hóquei connosco era que se a equipa perdesse, seria bem melhor nem sequer falar para o meu pai a seguir ao jogo. Posso garantir que não há nada que os media possam escrever ou dizer sobre as performances dos Leafs que o meu pai não tenha ele próprio também pensado, e ninguém é mais crítico ao seu próprio trabalho que o meu pai. Por isso, eu não me tomo de razões com alguém que critique os Leafs na coluna do Deve/Haver de vitórias e derrotas. Faz parte do trabalho, e parte da responsabilidade que o meu pai com tanta vontade assumiu quando se juntou à equipa.

No entanto, tenho de responder à implicação de [Andrew] Krystal que o meu pai “não consegue aguentar a pressão” e ao comentário de Todd Kays de que o mundo não pára quando se experimenta uma tragédia pessoal. A verdade é, se alguém se tivesse dado ao trabalho de falar com alguém que conheça o meu pai, essa pessoa dir-lhe-ía, que neste momento de perda enorme, o hóquei é o refúgio do meu pai. Desde a morte de Brendan, ele não abrandou com as viagens, com a sua agenda, a sua paixão para melhorar a equipa, e o ringue continua a ser, como tem sido durante anos, o seu porto de abrigo.

Este fim de semana é o “Fim de Semana de Pais e Filhos dos Maple Leafs” a somar a ser o fim de semana em que o meu pai completará o seu 1000º jogo como GM. Sugerir que a memória de Brandon não estará no topo dos pensamentos do meu pai durante estas datas marcantes seria tolice. Como um dos comentários online à coluna de Bruce falava, quando se perde um filho, “não passa um dia em que não se sinta dor”. Estou certa de que isso tanto é verdade para Bob Gainey anos mais tarde, como é neste momento para o meu pai, em que só se passaram meses. Dar a volta a uma franchise perdedora é um desafio considerável, um desafio que leva tempo, paciência, e uma disponibilidade para aguentar altos e baixos. Nesse aspecto é semelhante ao luto – um processo longo, não linear com uma incerteza significante e stress considerável. Posso confirmar a todos envolvidos nesta discussão, que a morte do meu irmão teve um profundo impacto no meu pai, mas especular que o seu coração não está envolvido e dedicado ao máximo no jogo, é incorrecto. De facto, as muitas horas que ele passa no Air Canada Centre, a fazer scouting, a falar com colegas GM’s, a delinear estratégias com a sua equipa, são a melhor maneira que ele tem de encarar e seguir em frente.

Muitos jornalistas comentam o vocabulário colorido do meu pai, tipicamente “apimentado” com termos como “pestilência” e “tenacidade”. Posso assegurar-vos, como filha dele, que “perder” e “pena” são duas palavras que não têm lugar no vocabulário do meu pai. Posto isto, é a minha esperança que este debate chegue a um final, e que os especialistas da imprensa, rádio e tv possam deixar de discutir se devem pressionar ou dar folga ao meu pai. Como qualquer férreo veterano do hóquei, ele não precisa que as pessoas lhe facilitem, ele só quer focar-se na equipa e no jogo que ele adora.

Sinceramente,

Katie Burke”

E foi esta a comunicação em resposta de Katie Burke. Eu lembro-me de quando morreu Brendan e não consigo imaginar o sofrimento daquela família e de Brian, que é o que está em causa. Mas Brian é um profissional, e o que está a ser debatido é o lado profissional. Se Brian ficou afectado e não consegue fazer o seu trabalho (obviamente não o está a fazer bem), tem toda a minha simpatia e toda a simpatia da Nação Leaf. Afinal Brian é apenas humano, e sofreu uma perda enorme. MAS então, se as performances dele a nível profissional não satisfazem, não há realmente porque dar “folga” a Burke. Muitos fans dos Leafs perderam familiares. Eu gostava de ter sido futebolista profissional do FC Porto e de grandes equipas europeias, mas nunca tive “jeito” e já não tenho idade. Então é altura de Burke saír (e levar Wilson). Já foi dado demasiado tempo a Burke. Os Leafs não podem continuar a pensar que “para o ano é que vai ser”. Vamos todos chegar a velhos antes de “acontecer” a 14ª Stanley Cup. Eu não era nascido em ’67, e por este andar, não vou ver uma tão cedo. Brian e Katie têm toda a minha simpatia, mas então vamos RESPEITAR Brian e criticá-lo pelo trabalho dele, como ele gostaria. Brian, por favor, se a administração não tem coragem, então veja as evidências e dê lugar a quem “sinta” o espírito Leaf. E de preferência que seja um canadiano, E NASCIDO EM TORONTO.

Saudações a todos. GO LEAFS GO!!!

Rumor: Possível troca entre Leafs e Sharks

segunda-feira, 22 novembro 2010 2 comentários
Devin Setoguchi

Image via Wikipedia

Parece que existe uma troca sendo analisada entre os Leafs e os Sharks.

Os Leafs dariam um prospect, ainda não definido, e François Beauchemin, que não vem jogando muito bem ultimamente, por Devin Setoguchi e uma escolha de terceira, ou de sexta escolha.

Para os Leafs, seria uma ajuda no seu ataque, já que Setoguchi é um jogador que leva muito perigo ao gol adversário. Já para os Sharks, seria uma ajuda na defesa, após a saída de Rob Blake e ainda impediriam que Beauchemin fosse trocado para alguma outra equipe da Conferência Oeste, o que o faria um adversário a ser vencido.

Gosto do Beauchemin, mas acredito que a troca beneficiaria os Leafs.

É esperar para ver, pois parece que outro fator que os Leafs aguardam para dar continuidade à troca seria a volta de Dion Phaneuf, para que não ficasse sem 2 de seus principais defensores.

GO Leafs GO

%d blogueiros gostam disto: